Serviços financeiros digitais, comércio eletrônico, assistência médica, seguros e mobilidade urbana são os mercados principais para o aporte dos investimentos.

O fundo de tecnologia lançado pelo SoftBank Group reúne o capital de US$ 5 bilhões, que serão destinados a América Latina e o nome escolhido para o projeto será Marcelo Claure.

Serão destinados US$ 2 bilhões ao Innovation Fund. Nesta operação inicial o SoftBank conta com Marcelo, que ocupará o cargo de CEO para a America Latina, mantendo também seus demais cargos na empresa.

Claure foi contratado por Son em 2013, quando a empresa japonesa fez uma aquisição majoritária da Brightstar, empresa distribuidora de telefones liderada por Marcelo Claure. Promovido por Son à direção da Sprint no ano seguinte, Claure liderou a recuperação da empresa operadora de telefonia celular, acabando por fechar a venda do negócio para a T-Mobile US, concorrente na época. No ano passado Claure foi nomeado no SoftBank para o cargo de diretor de operações, assim como CEO do SoftBank Group International.

“Há muita inovação e disrupção ocorrendo na região e eu acredito que as oportunidades de negócios nunca estiveram tão fortes”, afirma Claure, nascido na Bolívia, país onde passou grande parte da infância.

Brasil, Argentina, Chile, Colômbia e México fazem parte do plano de investimentos do Fundo conforme comunicado da empresa.

A América Latina não é uma novidade para o SoftBank: no ano 2000 foi criado o SoftBank Latin America Ventures, com o objetivo de apoiar as demais empresas do SofBank na região latino-americana e investir em startups locais. Em 2017, o Softbank investiu cerca de US$ 100 milhões no aplicativo de mobilidade privada 99, de origem brasileira. Em 2018, um novo grande investimento: o Vision Fund investiu US$ 100 milhões na start up Loggi, empresa do mercado de entregas, em uma aposta no crescimento veloz do setor de comércio eletrônico brasileiro.

Segundo Masayoshi Son, presidente do conselho e CEO do SoftBank: ‘‘A América Latina está prestes a se tornar uma das regiões econômicas mais importantes do mundo, e prevemos um crescimento significativo nas próximas décadas.”

Recentemente o SoftBank informou que está desenvolvendo um grupo operacional na América Latina, com o objetivo de fechar parcerias com demais empresas de seu portfólio, ajudando-as a penetrar no mercado da região e ampliar sua presença geográfica.

Fonte: Exame