Os Fundos Garantidores de Crédito (FGC) atuam como mecanismo de proteção aos correntistas, poupadores e investidores. Essas instituições atuam também com o objetivo de complementar as garantias exigidas em operações de crédito para empresas de menor porte. A atuação dos FGC no mercado atual surgiu em 2009, substituindo o antigo fundo de aval (FGPC), que deixou de operar.

Falando especificamente de operações de crédito para empresas, os Fundos Garantidores podem ser de grande ajuda para as pequenas e média empresas (PMEs), principalmente em momentos onde a economia mostra sinais de fraqueza com a queda do consumo. Nestes momentos, muitos empresários encontram dificuldades em tomar crédito para sustentar suas operações, além disso, muitos não possuem todas as garantias exigidas pelas instituições financeiras e muitas vezes por desconhecer o FGC, acabam deixando de tomar o crédito.

Diversas instituições atuam com operações avalizadas pelos Fundos Garantidores de Crédito, dentre elas podemos destacar BNDES, Fomento Paraná, Desenvolve SP, BRDE, entre outras agências de fomento e bancos comerciais.

Vale ressaltar que os Fundos Garantidores de Crédito não emprestam dinheiro, não são um seguro e não substituem totalmente uma garantia, sendo em alguns casos necessário que o empresário complemente as garantias para obter o crédito.

Abaixo, listamos alguns fundos que podem ser utilizados para complementar as garantias. Recomendamos verificar com sua instituição financeira a disponibilidade de obtenção de crédito utilizando um FGC, bem como os custos para isso.

FGO

O Fundo de Garantia de Operações (FGO) é operado pelo Banco do Brasil e assegura crédito para capital de giro e investimentos destinado aos MEIs e as micro, pequenas e médias empresas. Diversas instituições financeiras adotam o FGO como opção para empresários que desejam tomar crédito.

O FGO garante até 80% do financiamento, limitando a R$ 150 mil no caso de capital de giro e R$ 500 mil no caso de investimento. Para utilizar o fundo o empresário deverá arcar com a Comissão de Concessão de Garantia (CCG).

BNDES FGI

O Fundo Garantidor para Investimentos (FGI) do BNDES disponibiliza garantias para linhas oferecidas pelo próprio BNDES, como capital de giro e linhas de financiamento para a aquisição de máquinas, equipamentos e softwares. O custo para utilizar o FGI irá variar de acordo com o valor financiado, o prazo do financiamento e o percentual de garantia coberto pelo fundo.

Fampe

O Sebrae também disponibiliza um Fundo de aval para as Micro e Pequenas Empresas. Para que possa ser elegível a tomar este fundo o empresário deverá verificar se o banco que opera é conveniado ao Sebrae, entre outros detalhes, que podem variar de acordo com cada instituição.

O objetivo do Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas é complementar as garantias exigidas pelas instituições financeiras para a obtenção de linhas de crédito empresarial.

Funproger

O Fundo de Aval para Geração de Emprego e Renda tem o objetivo de avalizar tanto pessoas físicas quanto jurídicas para a obtenção de linhas de crédito por meio do programa Proger Urbano.

Essa modalidade de aval irá cobrir até 80% do valor financiado e a garantia abrange todo o prazo do financiamento, incluindo a carência. Além disso, até 20% do total financiado poderá ser utilizado como capital de giro e os prazos variam até 72 meses para financiamentos e 36 meses para linhas de capital de giro.

Sociedades Garantidoras de Crédito (SGC)

São instituições de caráter privado, podendo em alguns casos ter participação de entidades públicas. Seu objetivo é complementar as garantias exigidas pelas instituições financeiras para a obtenção de crédito. Podem também fornecer aval técnico e comercial, além de assessorias financeiras.

Outro ponto interessante da SGC é que as instituições podem realizar a análise dos projetos e pedidos de financiamento, assumindo o risco de inadimplência e eventuais falências, honrando a garantia perante o credor e podendo inclusive, conduzir o processo de recuperação das perdas com a empresa inadimplente ou falida.

Como utilizar os Fundos Garantidores de Crédito no dia-dia de sua empresa?

Para utilizar o FGC em modalidades de crédito é importante conversar com seu gerente no banco, ele poderá detalhar quais modalidades são adotadas pela instituição e se ela aceita algum deles. Caso a sua instituição não possua FGC para as operações, pode também buscar um parceiro para te ajudar na busca de recursos financeiros. A Rumo Negócios possui uma equipe especializada na modalidade de funding e pode te ajudar a buscar a instituição e a linha que melhor se encaixe para seu projeto.

Fontes: BNDES; Banco do Brasil; Sebrae