Com uma tendência de redução gradativa da taxa de juros sinalizada pelo Banco Central a partir do início de 2017, aquele recurso que estava aplicado no banco deverá ser alocado para outros investimentos afim de evitar de ser engolido pela inflação. Investir em imóvel seria uma opção se não fosse a dificuldade de locação e a enorme quantidade de unidades em estoque, que pressiona os preços para baixo.

Investir num negócio passa a ser então uma boa opção considerando uma possível retomada da economia, sobretudo em alguns setores específicos do mercado. Na hora de investir em um negócio, de modo geral, o pequeno investidor encontra as seguintes opções:

  • montar um negócio do zero (marca própria ou franquia);
  • adquirir cotas numa sociedade empresarial (tornar-se sócio);
  • adquirir uma empresa em funcionamento.

Ter boa formação acadêmica, experiência como gestor, muitas vezes não é o suficiente. Se fosse assim o Brasil não estaria cheio de empresários bem-sucedidos, que não frequentaram a faculdade. Também não haveria fracasso nas empresas tendo os gestores excelentes currículos.

Iniciar um negócio do zero

Em tempos de crise é certamente o mais arriscado de todos, a menos que você seja detentor de um projeto, fórmula, tecnologia que se diferencie de tudo o que já existem no mercado. Os maiores erros cometidos pelos empresários que fracassaram ao iniciar um negócio do zero são:

  • não realizar uma ampla pesquisa do mercado ou fazê-lo por conta própria, sem o apoio de alguém ou de uma empresa especializada;
  • ausência, superficialidade ou excesso de otimismo no Plano de Negócios;
  • não mensurar no investimento inicial, o capital de giro necessário para levar a receita até o ponto de equilíbrio.

Tempo para o empresário é algo muito precioso, basta lembrar que todo final de mês terá que pagar aluguel, energia, contador, funcionários, telefone, internet, entre outros. Garantir as receitas para cobrir os custos é algo que muitas vezes pode demorar anos. Basta acompanhar o índice de mortalidade das empresas elaborado pelo SEBRAE.

Então se existe no mercado alternativas mais inteligentes para encurtar esse caminho, porque não usá-las?

Aquisição de quotas do capital social

Aquisição de cotas numa sociedade empresarial pode ser uma opção bastante interessante principalmente se houver complementaridade nas especializações dos sócios. Sociedade é algo que requer muita disciplina, respeito e afinidade entre pessoas.

Na composição de uma sociedade é recomendável utilizar-se de documentos específicos para deixar tudo muito claro, as responsabilidades, direitos e deveres de cada um dos sócios. A sociedade pode ser composta por sócios operadores e/ou sócios investidores.

Diante de uma oportunidade de ingressar numa sociedade o sócio entrante deve analisar o contexto geral de toda a operação, o mercado, o produto, a empresa, os sócios remanescentes e o planejamento futuro, considerando a restruturação.

Encontrar uma oportunidade de ingressar numa sociedade não é algo muito simples, mas o fato do sócio vendedor estar disposto a abrir mão de parte da empresa pode ser um bom indício de que ele realmente acredita no negócio e existem oportunidades para serem exploradas em conjunto. Além disso, todo conhecimento e experiência do sócio remanescente permanecem na empresa, acelerando o processo de assimilação e integração com o novo negócio.

Adquirir uma empresa em funcionamento

Uma das opções e, talvez a mais fácil de se encontrar no mercado, é adquirir uma empresa em funcionamento. É muito comum ao se deparar com uma oportunidade de venda, associar a empresa com problemas variados, dívidas, prejuízos, etc.

De fato, dentre inúmeras empresas à venda no mercado, uma boa quantidade não são operacionalmente ou financeiramente viáveis. Mas são muitos os motivos que levam as empresas estarem disponíveis para a venda: dissolução societária, separação litigiosa, ausência de sucessores, aposentadoria, mudanças, entre outros. E mesmo entre as empresas que não estão apresentando bons resultados, existem boas oportunidades, aliás as melhores sob o ponto de vista dos bons empreendedores. É que grande parte do problema das empresas são os próprios gestores. E isso pode ser um prato cheio para àqueles que conseguem enxergar além do presente.

O processo de aquisição de empresa demanda de conhecimento e metodologia. Hoje os riscos podem ser evitados tendo o apoio de uma assessoria especializada, a legislação evoluiu bastante nos últimos anos e os processos foram bastante simplificados.

O maior benefício de se adquirir uma empresa em funcionamento é o ganho substancial de tempo, pois já existe uma carteira de clientes formada e ativa, gerando faturamento recorrente, os funcionários já estão treinados, fornecedores desenvolvidos, todo o conjunto funcionando. Portanto, na dúvida entre montar uma empresa do zero ou adquirir uma empresa em funcionamento (ou cotas numa sociedade), escolha essa última opção.